Processada pelo Banco do Brasil por falta de pagamento, Prefeitura quer levar secretarias para prédio dos Santini

 

square

Fotos: Reprodução

A história quando surgiu já pareceu estranha, beirando o cinismo, tão rotineiro nos dias de hoje. Será que isso seria possível? Muita cara de pau? imoral ou ilegal? Mas como vivemos de Jornalismo e é o que pretendemos fazer aqui, vamos aos fatos.

A Prefeitura de Santos tem desde 2002, o empréstimo gratuito dos terceiro e oitavo andares do prédio do Banco do Brasil, que fica na Rua XV de Novembro, no Centro de Santos. É o regime de comodato e os imóveis têm de ser devolvidos quando acordado pelas partes. Aos poucos a Administração Pública começou a esvaziar os locais.

Ao mesmo tempo, surgiu a informação que o benevolente Paulo Alexandre Barbosa estaria em adiantadas conversas para alugar dois andares do Tribuna Square, empreendimento que pertence à família Santini e alguns sócios, e levar pra lá os equipamentos públicos. As vantagens imediatas seriam: bajular ainda mais a família dona de um sistema de comunicação na Cidade, ou seja aquela blindagem básica, dar aquela força financeira para reforçar o império midiático e movimentar o prédio que ainda possui muitos escritórios vazios. Esse prefeito é esperto mesmo.

O Blog Santos em Off apurou que, apesar da Prefeitura negar, as saídas da secretarias de Saúde, Assistência Social, Infraestrutura e Edificações, entre outros departamentos, do prédio da XV de Novembro não aconteceram pois as despesas com o condomínio, de acordo com a assessoria de imprensa, de R$ 132 mil eram muitos altas e, por isso, acharam melhor deixar o prédio. Bom, não é isso que o o Banco do Brasil informou ao Blog. Confira a resposta: “O Banco do Brasil informa que mantém cessão de imóvel para a Prefeitura de Santos no regime de comodato, desde 2002. O Banco do Brasil cobra judicialmente ressarcimento de despesas com taxas condominiais, manutenção predial e tarifas de água e luz acumuladas desde 2014. O Banco ressalta que envida todos os esforços possíveis para a solução do caso” .

Bom, já deu pra entender o que vai provocar a mudança. A Prefeitura não paga condomínio, manutenção, água, luz desde o segundo ano governo tucano. Está sendo processada pelo banco. A assessoria de imprensa da Prefeitura afirmou que as despesas giram em torno de R$ 132 mil por mês, ou seja, dá pra imaginar o tamanho da dívida, perto de R$ 5,5 milhões.

pab

Apesar de não ser conhecida como boa pagadora há bastante tempo, a administração de PAB está de olho nos imóveis no Centro da Cidade e admite que o Tribuna Square está dentre eles. ” A Prefeitura de Santos está estudando imóveis no Centro, com espaço adequado para atender as necessidades dessas secretarias, para que as mesmas possam dar continuidade aos trabalhos realizados. Por perfazer esses requisitos, o Edifício Tribuna Square é uma das alternativas, assim como outros que também se encaixam nesse perfil”, informou.

Será que ninguém enxerga nada?. Estão zombando com a cara da população santista. Por que não ocupar o prédio da Prodesan que já é da Prefeitura? Por que pagar se pode economizar? O Ministério Público ainda não percebeu isso?

Agora, o governo tucano não acha nada de imoral nessa relação entre o grupo de mídia e a Administração Pública, mesmo estando atolado numa grave crise financeira e não pagando suas dívidas. ” Tratando-se de mercado imobiliário, não há nada de imoral ou ilegal alugar imóveis de terceiros, independentemente do segmento. Cabe ressaltar que o Edifício Tribuna Square não é gerenciado pela Família Santini ou pelo Grupo A Tribuna, mas por um grupo de sócios diversos. Ademais, hoje quando se firma um contrato é procedido o empenho global do valor envolvido, de forma que é assegurado ao locador o recebimento dos aluguéis mensais acordados, sem problemas de atraso, uma vez que esse numerário fica reservado para essa finalidade “, afirmou a Prefeitura garantindo que se mudar para o imóvel dos Santini, não vai ter atraso de aluguel . Diga se não é um grande negócio?

Agora, caro leitor, uma importante informação precisa ser revelada. A família Santini já aluga um imóvel para a Prefeitura de Santos. Ele fica bem em frente ao velho prédio do Jornal, na Rua João Pessoa, 132. Ali funciona o Defisco (Departamento de Fiscalização de Mercados e Comércio Viário), da Sefin (Secretaria de Finanças). Alugado por R$ 32.237,57 mensais, sem dívidas, de acordo com a assessoria, e com contrato até janeiro de 2018. A conferir.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s